10/07/2011

Pronúncia



     É impossível determinar com exatidão qual fosse a pronuncia da língua latina no tempo dos romanos. Por isso, no Brasil, algumas escolas adotaram a Pronuncia Romana, usada em Roma nos nossos dias; outros seguem a Pronúncia Tradicional, comum nas escolas de                Portugual e do Brasil; outras, enfim, adotaram a Pronúncia Reconstituída, a qual, com boas bases, adotaram a Pronúncia Reconstituída, a qual, com boas bases cientificas, se esforça para imitar a pronuncia usada pelas pessoas cultas de Roma na época de Marco Túlio Cícero.
      Para evitar confusões, ensine-se uma só das três... praticamente, isto é, à medida que os sons que diferem do português, aparecerem nos exercícios.
A Pronúncia Romana difere da pronúncia do português nestes casos:
         a)      Os ditongos ae e oe soam e: As rosas rosae, pronuncia-se róse; castigo poema, pr. péna.

Quando os grupos ae e oe não formarem ditongo, pode-se colocar o trema sobre o e: Poeta poeta, pr. pó-éta.

      b)      O c, diante de e e i, tem quase o som de tch (o som do ch inglês em children): Cícero, Cícero, pr. thcítchero; César, Caesar, pr. tchésar.

O grupo ch soa sempre como k: Braço brachium, pr. brákium.

         c)  O g, diante de e e i, tem quase o som de dg (o som do g na palavra inglesa gentleman): Joelho genu, pr. dgénu, age agit, pr. ádgit:

O grupo gn soa como nh: cordeiro agnus, pr. ánhus:
          
         d)      O j soa como i: Jurar, jurare, pr. iuráre.
         
         e)      O grupo ph soa f: Filósofo, philosophus, pr. filósofus.

         f)        O s final soa como ss: Nós, nos, pr. nóss.
         O grupo sc, diante de e e i, soa como o ch português: desce, descendit, pr.dechéndit.
                                                                                                                                                                                                                      
         g)      A sílaba ti, quando seguida de vogal, soa tsi: paciência, patientia, pr. patsiéntsia.

       A mencionada sílaba ti, embora seguida de vogal, soa como em português, quando está no ínicio das palavras ou quando é precedida por s, x ou i: tiara, tiaras, pr. tiaras; porta, ostium, pr. óstium; mistura, mixtio, pr. mícstio; Brútio (nome de uma região da Itália Meridional), Bruttium, pr. brúttium.
         O grupo th soa t: tesouro, thesaurus, pr. tesáurus.

         h)      A vogal u soa sempre: cobra, anguis, pr. ángüis; quinto, quintus, pr. qüintus.
          
       i)        O x soa gz, quando está entre duas vogais, sendo e a primeira; soa ks em outros casos: exame, examen, pr. egzámen; esposa, uxor, pr. úksor.                                                 
         
         j)    O y soa i e o z soa dz: lira, Lyra, pr. lira; zelo, zelus, pr. dzélus.